Luta contra a LGBTfobia: conheça os personagens que se destacam nos games

Vamos celebrar a inclusão nos jogos eletrônicos? Na semana que marca a Luta Contra a LGBTfobia a gente mostra 11 personagens importantíssimos no mundo dos games.

São heróis e vilões com personalidades incríveis que passaram por vários jogos. Franquias de sucesso como Super Mario, Street Fighter, Mortal Kombat, God fo Wars e muitos outros fazem parte desta lista. Se liga!

1 – Birdo (Super Mario Bros. 2)

A lista tinha que começar com Birdo! Justamente o “primeiraço” personagem a representar a comunidade LGBT nos games. Justamente porque o manual número 1 norte-americano de Super Mario Bros. 2 descrevia Birdo como um homem que acredita ser uma mulher e consequentemente preferia ser chamado de Birdetta. A Nintendo nunca confirmou nada sobre o assunto, mas posteriormente, no game “Smash Bros. Brawl”, Birdo foi apresentado como namorada do Yoshi. Como estava escrito no manual, o personagem é tecnicamente o primeiro transgênero de um jogo de videogame.

2 – Poison (Final Fight)

Em 1989, Poison apareceu pela primeira vez em Final Fight. Uma “criminosa” que adorava socar todo mundo nesse clássico beat´ up dos anos 80. Na história original do jogo da Capcom, Poison é uma travesti que cresceu em Los Angeles se tornando membro da gangue de Mad Gear. Quando o jogo foi lançado para o Super Nintendo nos EUA, o povo lá não gostou muito dessa história de bater numa mulher ou em um travesti. Sendo assim, resolveram mudar a Poison e Roxy (outro personagem do mesmo estilo que é fã de Poison) para dois personagens masculinos, chamados Sid e Billy. Tempo depois, a a personagem ganhou força e muitos fãs sendo inserida também na franquia Street Fighter.

3 – Ash (Streets of Rage 3) 

Na onda dos games antigos, tem também o Ash de Streets of Rage 3, de 1994. O personagem só aparece na versão japonesa, já que na americana retiraram ele do jogo. Ele é o sub-chefe da primeira fase, é um motoqueiro musculoso, com dois metros de altura. Ash usa botas, meia-calça verde e colete cor-de-rosa. Certamente uma fisionomia marcante para quem gosta e jogou muito a franquia.

4 – Garotas lésbicas de Afrodite (God of War 3)

Elas não aparecem muito no God of War 3. Na verdade, a personagem Afrodite estava se divertindo na banheira com elas quando o protagonista do jogo Kratos aparece para participar da festa. Afrodite dispensas as “escravas sexuais” e vai se dedicar exclusivamente ao Kratos. Mas as suas meninas também não perdem tempo e ficam se curtindo no canto. O nome delas não é dito, mas o registro do lesbianismo rouba a cena no game. Parabéns, meninas!

5 – Vamp (Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty)

Vamp apareceu primeiramente em Metal Gear Solid 2 como um especialista em facas com habilidades de vampiro, como super-força, maior agilidade e velocidade, sede por sangue e poder andar nas paredes. Ele é bissexual e ex-amante do comandante Scott Dolph, pai de Fortune, uma das personagens femininas da série. Inicialmente, Vamp foi criado para ser uma mulher, mas acabou sendo mudado para homem, apenas mantendo o cabelo preto comprido. O personagem também esteve no Metal Gear Solid 4 onde morre “agarradinho” junto com o Raiden.

6 – Steve Cortez (Mass Effect 3)

Esse é arretado porque o jogador tem a opção de escolher qual relacionamento seguir. O game da Bioware permite que o jogador ou jogadora se envolvam com personagens do mesmo sexo. No entanto, o piloto Steve Cortez apenas tem interesse no capitão Shepard e se ele for homem (o jogador pode escolher no início do game), pode vai embarcar na história. Na aventura, Cortez também convive com a perda recente do marido.

7 – Ciri (The Witcher 3: Wild Hunt)

Ciri é a filha adotiva de Geralt, no jogo The Witcher 3: Wild Hunt. Ela faz parte do pacote da DLC, é bissexual, mas no game deixa claro a preferencia por mulheres. Isso acontece quando ela é questionada sobre o que sente por um homem. Se isso não for suficiente, no livro que dá origem ao jogo, do escritor polonês Andrzej Sapkowski, Ciri chega a ter relação sexual com uma outra mulher.

8 – Makoto (Enchanted Arms)

Makoto é profundamente apaixonado por Toya, outro personagem suporte que é bastante popular no RPG Enchant University. As ações e atitudes dele no game giram em torno do rapaz que é heterossexual. Makoto é um gay assumido que também morre de ciúmes do melhor amigo, Atsuma.

9 – Juhani (Star Wars: Knights of the Old Republic)

Juhani é uma alienígina Jedi e é a primeira personagem gay retratada em um universo de Star Wars. Se no game, as decisões do jogador levarem à morte de Juhani, outra Jedi com quem ela teve um relacionamento vai querer se vingar da amada.

10 – Kung Jin (Mortal Kombat X)

Os desenvolvedores de Mortal Kombat confirmaram que Kung Jin é gay. O anúncio só foi feito porque os fãs do game de luta começaram a especular o comportamento do personagem. Principalmente em um dos diálogos com o Lord Raiden. Na ocasião, o Deus do trovão conforta o personagem, que está com medo de não ser aceito por Shaolin, falando que o que importa é o coração dele, e não com quem ele quer estar.

11 – Ellie (The Last of Us Part II)

Ellie e Dina formam um dos casais mais bonitos dos games. Em The Last of Us Parte II, elas dão um beijo bem romântico, constroem uma família sólida criando um filho, numa fazenda. A franquia também traz no primeiro jogo da série, The Last of Us, outros personagens não jogáveis que deixam claro nos diálogos a opção sexual com pessoas do mesmo sexo.

Tudo sobre o tema “Transgênero” com a atriz Anne Celestino

A gente bateu um papo massa com a atriz Anne Celestino sobre o filme Alice Júnior vencedor de prêmios nos festivais Mostra Geração no Festival do Rio – Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro e o 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Anne também falou sobre o canal dela no Youtube, chamado Transtornada e esclareceu muitas curiosidades sobre o tema Transgênero. Tudo isso, jogando uma partida do clássico Power Ranger para Super Nintendo. Se liga!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.